"Você não precisa fazer Harvard para fazer o que ama"

A 99jobs está apresentando uma websérie chamada "Eu amo o que eu faço". Eles - citados no meu post anterior - têm dez capítulos prontos e já lançaram oito.

Parceria com a Você S/A, a websérie tem como mote "Você não precisa fazer Harvard para fazer o que ama". E como crença: "A profissão que escolhemos é uma expressão do que verdadeiramente somos".

Tem depoimentos de jovens como João Carlos Pastore, que passou pela Fundação Estudar, trabalhou em empresas como Johnson & Johnson e Procter & Gamble, passou cinco anos no Google e hoje está no Facebook - tudo isso com 29 anos de idade. Uma frase dele resume a filosofia Felicidade S.A. de busca da felicidade no trabalho: "Eu nunca fui escolhido por uma empresa para trabalhar. Sempre fui atrás das empresas em que eu queria trabalhar".

Tem também as histórias de Paul Lafontaine, que era músico "da noite" e hoje dá aulas de bateria para pessoas com deficiência, ou de Rogério Santos, ex-gerente comercial de uma empresa de telecomunicações transformado em empreendedor. Seu negócio chama Retrô Hair e foi, pelo menos em parte, motivado pela vontade de "criar uma empresa one as pessoas consigam ser felizes no trabalho, bem remuneradas e tenham um motivo especial para sair de casa".

Dá ainda para conhecer o ex-professor de inglês Loro Verz, que se descobriu artista plástico. Na escadaria do que deve ser a casa ou o atelier dele tem uma citação muito bacana do Kino: "Suba o primeiro degrau com fé. Não é necessário que você veja toda a escada. Apenas dê o primeiro passo."